Detectar a ovulação

Temperatura corporal basal & Muco cervical

Quando estamos a tentar engravidar é útil saber exactamente quando estamos a ovular para podermos manter a relação sexual no mesmo timing. Muitas mulheres tiveram sucesso, utilizando os kits de ovulação que indicam os dias em que teremos ovulação. Mas a forma natural (e grátis) de termos uma ideia do nosso ciclo de ovulação é registar a temperatura corporal basal e controlar o nosso muco cervical.

 

O que é a temperatura corporal basal?

A temperatura corporal basal é a temperatura mais baixa que o nosso corpo atinge num período de 24 horas, ou seja, a nossa temperatura ao acordar depois de uma noite normal de sono. A temperatura corporal basal aumenta aproximadamente 0.5-1.0º C depois da ovulação, mantendo-se durante o resto do ciclo, voltando aos valores iniciais antes do fluxo menstrual começar. O aumento da temperatura deve-se à progesterona, a hormona produzida pelo corpo lúteo depois da ovulação.

O melhor momento para medi-la é quando acordamos pela manhã. Mesmo antes de nos levantarmos devemos medir a temperatura (o facto de comer, beber ou simplesmente movimentar-se irá alterar a temperatura corporal) com um termómetro basal (que é mais eficiente, visto que mede a temperatura em décimos de grau, detectando alterações mínimas de temperatura) e sempre à mesma hora todos os dias de manhã.

Depois basta registar a temperatura numa tabela e verificar a média que o nosso corpo indica todos os meses. Esse registo irá indicar se estamos a ovular ou não, assim como uma estimativa dos dias em que a ovulação irá ocorrer no mês seguinte.

Devemos começar o registo pelo primeiro dia do ciclo menstrual, ou seja, pelo primeiro dia em que aparece o período, registando assim todas as alterações diárias de temperatura ao longo de todo o ciclo. Para além disso, devemos registar também todos os eventos que possam afectar a temperatura corporal, tais como relações sexuais, hemorragias, insónias ou doenças.

Antes da ovulação a nossa temperatura corporal basal média mantém-se entre 36,2ºC e 36,5ºC, mas 2 ou 3 dias depois da ovulação, as alterações hormonais provocam um aumento de 0,5ºC de temperatura que se prolonga até ao próximo período menstrual. Para ser levada em consideração, a temperatura tem de manter-se elevada 0,5ºC ou 1,0ºC durante alguns dias seguidos. Caso contrário, é porque ainda não ovulámos.

Quando engravidamos, a nossa temperatura irá manter-se alta durante toda a gravidez.

Claro que a tabela (BBT - em inglês ou TCB - em português) apenas nos dirá se já ovulámos ou não e o registo no primeiro mês não será muito produtivo, porém o registo durante alguns meses irá mostrar-nos um padrão do nosso ciclo menstrual, a partir do qual podemos prever os dias em que iremos ovular no mês seguinte e assim também saberemos quais os melhores dias para nos dedicarmos às "tentativas".

Se estivermos doentes ou nos esquecermos de medir a temperatura, estaremos a prejudicar o registo na tabela, visto que assim a informação não estará correcta.

Geralmente o gráfico/tabela (BBT - em inglês ou TCB - em português) é utilizada maioritariamente pelas mulheres que estão a fazer tratamentos de fertilidade, pois assim podem programar os melhores dias fazerem esses tratamentos.

 

O que é o muco cervical?

Há diferentes tipos de mucos que a vagina expele. Um deles é o muco cervical. Durante o nosso ciclo menstrual, a quantidade, cor e textura do muco cervical altera-se devido aos diferentes niveis hormonais. Verificar o muco cervical e estar atenta às suas alterações pode ajudar-nos a saber a data em que estamos a ovular.

No início, quando vem o período, teremos o sangue menstrual. Quando o período acaba, o mais provável é que nenhum muco cervical apareça durante alguns dias. Depois disso, irá começar a aparecer um muco esbranquiçado com a consistência de arroz demasiado cozido. Nessa fase, não haverá  muita probabilidade de engravidar durante esses dias.

À medida que a ovulação se aproxima, o muco irá tornar-se mais claro e com uma consistência de clara de ovo, escorregadia e cada vez com mais quantidade. Este tipo de muco significa que é a altura ideal para as tentativas começarem, porque com a consistência do muco é a ideal para o espermatezóide viajar até ao óvulo. No último dia que detectamos o muco com esta consistência será o dia mais fértil, geralmente o dia anterior ao da ovulação.

A altura ideal para verificar o muco cervical é quando vamos à casa de banho de manhã, logo depois de acordarmos e se estivermos a registar a temperatura corporal basal, devemos fazê-lo ainda antes de nos levantarmos da cama.

Algumas mulheres têm muco cervical suficiente para poder ser visto no papel higiénico, quando se limpam, porém outras necessitam de o recolher com mais cuidado e de outra forma (cotonete, por ex.) para o poderem examinar.

 

Como utilizar a tempertaura corporal basal e o muco cervical para prever a ovulação?

Como referido anteriormente, o registo da temperatura corporal basal e do muco cervical pode ajudar a conhecer o nosso ciclo menstrual e  a verificar quando é que a ovulação poderá ocorrer. Geralmente é dois a três dias antes de um aumento de temperatura e logo depois do último dia em que verificamos que o muco cervical têm a consistência da clara de ovo. Quando fazemos este registo durante alguns meses de seguida, podemos detectar um padrão que nos irá ajudar a prever a ovulação no próximo ciclo menstrual.

Algumas mulheres conseguem detectar esse padrão facilmente, mas outras não. Se depois do registo de, pelo menos, 6 meses verificarmos que ovulamos sempre num determinado dia do ciclo (por ex. ao 15.º dia), será uma excelente notícia, porque saberemos que no próximo ciclo menstrual iremos ovular exactamente nesse dia.

Pelo contrário, se depois do registo de, pelo menos, 6 meses verificarmos que ovulamos sempre em diferentes dias do ciclo (por ex. num mês ovulamos ao 14.º dia, no outro ao 17.º), prever o dia da ovulação no mês seguinte não será tão fácil. Teremos de fazer uma média e estarmos atentas aos sinais que o nosso corpo envia e que indica se estamos a ovular ou não.

Por exemplo, podemos verificar que quando estivermos perto de ovular, ao segundo/terceiro dia o muco cervical fica com a consistência de clara de ovo e a temperatura corporal basal diminui um pouco, aumentando no dia seguinte. Esta combinação de sinais pode ajudar a prever quando vamos ovular no nosso próximo ciclo menstrual para podermos agendar a relação sexual.

 

Uma vez que já consigo prever a minha ovulação, quando devemos ter relações sexuais?

O período mais fértil dura geralmente 5 dias: desde 3 dias antes da ovulação até um dia depois da ovulação. Pode-se iniciar as tentativas um pouco mais cedo, visto que, muitas mulheres engravidaram mantendo relações sexuais 6 dias antes da ovulação.

Somos férteis durante um longo período de tempo, porque o espermatezóide consegue sobreviver durante 5 a 6 dias no nosso corpo. Além disso, o óvulo libertado pela ovulação consegue sobreviver durante 1 dia. Muitos especialistas recomendam que as tentativas aconteçam em outros dias para além do período fértil, para haver maiores hipóteses de concepção.

 

Porque é tão importante registar tudo?

É uma opção de cada mulher, mas o registo é um modo natural e grátis de aprender os padrões de funcionamento do nosso corpo, para que possamos prever os dias mais férteis.

Muitas mulheres gostam de conhecer os seus ciclos menstruais e registar os seus dias mais férteis. Porém, se a ideia de registar tudo parece pouco natural e stressante, não somos obrigadas a fazê-lo. Podemos comprar um kit de ovulação ou teste de ovulação que irá medir os nossos níveis hormonais e indicar os dias prováveis da nossa ovulação. Custam em média 33€ e têm de comprar regularmente. Para lerem mais clicar aqui.

Se querem o efeito surpresa, muitos especialistas afirmam que manter relações sexuais duas vezes por semana consegue abranger o nosso período fértil.

 

Tabela para registar a temperatura corporal basal e muco cervical

Para verem uma tabela já preenchida, como exemplo,  clicar aqui. A tabela está em inglês e os graus de temperatura estão em fahrenheit. Devemos adaptá-los para graus Celsius. Para reajustarem a tabela para graus Celsius, podem converter os graus Fahrenheit aqui. Para imprimir esta tabela, clicar na imagem.

 

Como começar

1-Imprimir a tabela;

2-Comprar um termómetro;

3-O 1.º dia a registar é o 1.º dia do período/menstruação. Preencher a data e dia da semana.O 1.º dia do ciclo menstrual é o 1.º dia do período/menstruação;

4-Diariamente medir a temperatura antes de nos levantarmos da cama e verificar o muco cervical. Colocar um ponto na quadrícula junto à temperatura medida e registar o aspecto/textura do muco cervical. Podemos unir os pontos à medida que vamos registando a temperatura, verificando assim todas as alterações;

5-No final do ciclo menstrual (quando começa novamente outro período/menstruação) podemos verificar quando ovulámos. Geralmente é no último dia em que o muco cervical parece clara de ovo ou no dia seguinte, seguida por uma alteração na temperatura. Pintar esse dia e registar que dia do ciclo foi;

6-Durante o próximo ciclo menstrual, repetir o mesmo registo e verificar se o dia em que ovulámos coincide com o do mês passado. Com os vários registo mensais, poderemos observar um padrão que nos vai ajudar a prever quando é que iremos ovular no ciclo seguinte;

7-Interpretar as tabelas, ou seja, verificar em que dia ovulamos (fazendo uma média aproximada, se é sempre ao 15.º dia do ciclo, por ex.);

8-Iniciar as tentativas nos dias previstos do período fértil para aumentar as hipóteses de conceber;

Artigo traduzido e adaptado do original Basal body temperature and cervical mucus e Blank BBT chart da Equipa babyCenter



Detectar a ovulação

O que é a ovulação?

A ovulação é quando um óvulo (e, às vezes, mais do que um óvulo) é libertado do ovário e é o período fértil do nosso ciclo menstrual. Todos os meses um óvulo amadurece dentro do ovário. Quando atinge um determinado tamanho é libertado do ovário e viaja pela tuba de falópio até ao útero. Que ovário liberta o óvulo é arbitrário. Durante a ovulação não há necessariamente rotatividade entre os dois ovários em cada ciclo.

 

Como é que a ovulação determina o momento em que ficarei grávida?

Para haver mais hipóteses de engravidar, devemos manter relações sexuais com o nosso companheiro durante o período que abrange 1 a 2 dias antes da ovulação até 24 horas depois da ovulação. O motivo: os espermatezóides conseguem sobreviver durante 2 a 3 dias, mas um óvulo apenas sobrevive 24 horas, a não ser que a fertilização ocorra.

Devemos tentar descobrir quando é que a nossa ovulação começa para aumentarmos as nossas hipóteses de engravidar.

Se mantivermos relações sexuais perto do momento da ovulação, as  nossas hipóteses de engravidar aumentam exponencialmente: em casais com uma fertilidade considerada normal há 20% de hipótese de conceberem em cada ciclo.

Cerca de 85% das mulheres que mantêm relações sexuais sem utilizarem qualquer método contraceptivo concebem num prazo de 1 ano. Por isso, é importante aprendermos mais sobre o nosso corpo, sobre as suas alterações hormonais e físicas mensalmente, e tentar saber as próximas datas em que iremos ovular.

 

Como é que posso saber quando estarei a ovular e quando estarei no meu período fértil?

Há três métodos para o fazer:

1-Contagem dos dias: A maneira mais fácil de estimar a nossa ovulação é contar os dias. No caso das mulheres que tenham períodos menstruais muito irregulares, este método não será o melhor.  Primeiro temos de ter uma previsão da data em que nos vai aparecer o período/menstruação e contar para trás desse dia, 12 dias e mais 4 dias. A probabilidade de ovular é durante esses 5 dias.Assim saberemos o número de dias em que estaremos a ovular. No caso das mulheres que têm um ciclo menstrual de 28 dias, o 14.º dia geralmente é o dia da ovulação. Para usar este método (que é aquele que utilizo) devemos saber a duração do nosso ciclo menstrual. Passos a seguir:

1-Download da tabela para registar a duração do período menstrual mensalmente aqui.

2-Esperar pelo 1.º dia do período/menstruação e registar no calendário desse mês:

#o 1.º dia do período/menstruação;

#a duração do período/menstruação nesse mês (Por ex. os meus períodos geralmente duram 5 dias seguidos);

#o 1.º dia do período/menstruação do mês seguinte e assim consecutivamente;

3-Com esse registo mensal, vamos conseguir saber a duração do nosso ciclo menstrual, ou seja, quantos dias passaram desde o 1.º dia do período/menstruação até ao 1.º dia do período/menstruação do mês seguinte. No meu  caso, tenho um ciclo menstrual médio de 30 dias, ou seja, desde o 1.º dia do período/menstruação passam 30 dias até ao 1.º dia do período/menstruação do mês seguinte. Todas as mulheres têm um ciclo menstrual diferente, por isso é tão importante saber qual é o nosso, para posteriormente sabermos qual o nosso período fértil.

É aconselhável fazer um registo de pelo menos 6 meses, para se obter uma melhor média. 

4-Com esse registo, utilizo uma calculadora de ovulação online que me irá dizer qual o meu período fértil do próximo mês. As minhas calculadoras preferidas são:

#Baby Center

 

2-Os sinais do nosso corpo

Um modo mais exacto de prever a ovulação é registar os sinais do nosso corpo, através da temperatura corporal basal e do muco cervical durante um ciclo ou dois. É natural e grátis, mas exige tempo e dedicação.Se prestarmos atenção a estes sinais e registarmo-los todos os dias, podemos verificar que o nosso corpo mostra um padrão que pode ajudar a prever quando será a próxima ovulação.

 

Temperatura corporal basal

Não sentimos nenhuma alteração na temperatura, mas poucos dias depois de ovular, a nossa temperatura corporal basal aumenta. Este pequeno aumento é apenas de meio grau e podemos detectá-lo medindo a temperatura todas as manhãs com o termómetro. Significa que estamos a ovular, porque a libertação do óvulo estimula a produção da hormona progesterona que faz aumentar a temperatura do corpo. Estaremos mais férteis nos 2 ou 3 dias antes da temperatura aumentar. Alguns especialistas afirmam que podemos ter 12 a 24 horas extras de período fértil depois de observarmos o aumento de temperatura, mas a maioria afirma que depois da temperatura aumentar é tarde demais para conceber.

Pode levar entre 1 a 2 dias após a ovulação para a progesterona aumentar a temperatura corporal. Porém, considerando que o óvulo apenas sobrevive por 24 horas, nessa altura será tarde demais para a fertilização. É por isso que os especialistas recomendam que façamos um registo diário durante alguns meses para detectar a data da ovulação. Depois de fazermos a nossa previsão de quando iremos ovular no próximo mês, podemos intensificar as tentativas durante os 2 a 3 dias anteriores à subida de temperatura.


Muco Cervical

O muco cervical vai alterando a sua textura durante o nosso ciclo menstrual. Durante o mês inteiro, provavelmente teremos pouco e sentiremos uma sensação de secura, mas à medida que a ovulação se aproxima, o muco cervical aumentará de quantidade. Terá um aspecto translúcido, como clara de ovo, devido ao aumento dos níveis de estrogénio e é nessa altura que estaremos mais férteis. Geralmente, o muco é uma barreira protectora, mas durante o período fértil permite que os espermatezóides viajem pelo cervix até ao útero e até às trompas de falópio para se unirem ao óvulo.


Desconforto abdominal

Cerca de um quinto das mulheres sentem literalmente a actividade ovulatória, que pode provocar dores abdominais. Esta sensação denominada mittelschmerz, pode durar alguns minutos ou algumas horas.

 

3-Testar os niveis hormonais

O modo mais exacto de prever a ovulação é testar os niveis hormonais com um kit ou teste de ovulação. Estes testes indicam um resultado positivo no dia anterior à ovulação, dando-nos tempo para planear as tentativas de engravidar. Este teste basicamente mede se o nível da hormona luteinizante (LH) aumentou, o que significa que os nossos ovários brevemente irão libertar um óvulo. Os kits custam em média 30€.

 

Como funcionam os testes de ovulação?

Disponíveis nas farmácias sem ser necessário receita médica, estes testes detectam, como referido anteriormente, o aumento do nível da hormona luteinizante (LH) na nossa urina, antes da ovulação ocorrer. São fáceis de usar e mais exactos do que o método da temperatura corporal basal ou da contagem dos dias e conseguem prever a ovulação 12 a 36 horas antes, ajudando-nos a maximizar a possibilidade de conceber logo no primeiro mês de utilização.

Porém, não são infalíveis. Podem medir a LH (apenas obtemos um resultado positivo ou negativo, nunca um número), mas não conseguem informar se vamos ovular após o teste dar positivo, visto que a LH pode aumentar com ou sem a libertação de um óvulo. Aumentos falsos da LH podem acontecer mesmo antes do aumento real, quando a ovulação estiver prestes a acontecer.

Para uma exactidão máxima, devemos seguir as instruções dos testes de ovulação à letra. no entanto, se as instruções indicarem para testarmos a primeira urina do dia, devemos testar a segunda urina do dia, porque a urina torna-se muito concentrada durante a noite, podendo levar a um falso resultado positivo.

O nosso ciclo começa no primeiro dia que temos o período. Se tivermos um ciclo de 28 dias, podemos começar a usar o teste no 11.º dia, durante 6 dias seguidos ou durante o tempo que as instruções indicarem. Se o nosso ciclo oscilar entre 27 e 34 dias, a nossa ovulação poderá acontecer entre o 13.º e 20.º dia. Podemos começar a testar ao 11.º dia e continuar até ao 20.º dia. Se tivermos ciclos irregulares, provavelmente teremos de comprar mais de um teste por mês, visto que cada kit traz um número limitado de tiras (aproximadamente 9) para testarmos a urina.

Artigo traduzido e adaptado do original Detecting ovulation da Equipa BabyCenter



 

Kit/Teste de ovulação versus Tabela da temperatura corporal basal & muco cervical

Kit/Teste de ovulação - Teste à urina, verificando alterações hormonais que indiquem que a ovulação está iminente.

Prós:

1-Mais confortável e menos confuso;

2-Mais eficaz que a tabela da temperatura corporal basal & muco cervical;

3-Consegue prever a ovulação 6 horas antes de ocorrer, tornando mais fácil saber os dias certos para as tentativas;

4-Só necessita de ser usado a meio do ciclo e não diariamente;

5-Funciona melhor com mulheres cuja temperatura não aumenta após a ovulação;

6-Não indica a textura/consistência que o muco cervical necessita ter para que a concepção seja bem sucedida.

 

Contras:

1-Pode ser caro, visto que custam em média 30€ por ciclo/mês;

2-As instruções devem ser seguidas à letra para resultados mais exactos;

3-Pode não funcionar com mulheres que tenham ciclos irregualres, visto que necessitam de mais tiras do que as que o kit traz para testar diariamente a ovulação;

4-Este tipo de testes testam o aumento da hormona luteinizante que se verifica antes da ovulação, mas não confirmam que estamos a ovular;

5-Os medicamentos de fertilidade podem invalidar os resultados.

 

Tabela da temperatura corporal basal & muco cervical - Registo da temperatura quando acordamos pela manhã e verificação da textura do muco cervical.

Prós:

1-Grátis. Depois do investimento inicial no termómetro, não haverá mais nenhum custo adicional;

2-Na maioria das mulheres, é exacto quando efectuado coreecta e consistentemente;

3-Ensina a ler os sinais do nosso corpo;

4-Ensina a interpretar a textura do muco cervical, um sinal muito preciso da ovulação;

5-Pode funcionar melhor para mulheres que tenham ciclos irregulares;

6-Também pode ser utilizado mais tarde como método contraceptivo, evitando a relação sexual nos dias mais férteis.

 

Contras:

1-Pouco prático. Temos de verificar a temperatura antes de nos levantarmos da cama e o muco cervical quando fazemos o primeiro chichi, todos os dias sem excepção;

2-Pode ser confuso;

3-Uma doença, mudanças na nossa vida podem afectar o nosso ciclo, alterando o padrão naquele mês;

4-Não indica exactamente quando vamos ovular. Pode demorar entre 2 a 3 meses até verificarmos um padrão.

Artigo traduzido e adaptado do original Ovulation predictor kits vs. basal body temperature/cervical mucus: Pros and cons da Equipa BabyCenter

publicado por babyblues às 00:01 | link do post | partilhar