Beleza & Estilo

Como me livrar do excesso de pêlos durante a gravidez?

Se achamos que o nosso cabelo fica mais bonito durante a gravidez, os pêlos que aparecem são para esquecer! É completamente normal e, felizmente, temporário.

A gravidez induz o crescimento do cabelo, que geralmente cresce mais no primeiro trimestre. Esse crescimento é causado pelo aumento das hormonas conhecidas como androgénios e nalgumas mulheres ocorre nos braços, barriga, pernas, peito e costas.

Podemos retirar esses pêlos com cera, com uma depiladora como a Silk-épil ou com uma Gillete, mas não recomendo a utilização de cremes depilatórios ou cremes descolorantes, porque podem ser absorvidos pela pele e não sabemos que efeitos poderão ter no bebé em desenvolvimento.

Há um medicamento no mercado que reduz o excesso de pêlo facial, mas também não é recomendado durante a gravidez, porque por um lado nunca houve testes clínicos em grávidas, e por outro lado, não sabemos que efeitos poderão ter no bebé em desenvolvimento.

Os cremes anti-pêlos que alegam diminuir o crescimento do pêlo são à base de soja, o que significa que podem conter hormonas vegetais e, apesar de não haver contra-indicações oficiais durante a gravidez, seria cauteloso evitá-los.

Relativamente às técnicas de depilação definitiva - laser e electrólise - funcionam bem e crê-se que são seguras durante a gravidez. Se o excesso de pêlo já era um problema mesmo antes da gravidez e queremos continuar a eliminá-los durante o nosso estado de graça, estes tratamentos são uma opção eficaz. Porém, podem ser dolorosos e desconfortáveis e já temos demasiado desconforto durante a gravidez, considerando que o excesso de pêlo é temporário.

Uma última opção é ser paciente, visto que todo o excesso de pêlo irá desaparecer num prazo de 6 meses após o parto.

Alexa Kimball - Dermatologista


A electrólise é segura durante a gravidez?

Não sabemos ainda com toda a certeza. Não há investigação suficiente que determine se a electrólise é segura durante a gravidez.

A electrólise já tem 100 anos e em todo este tempo nunca foram reportados casos de efeitos nefastos na gravidez. Se já tínhamos excesso de pêlo facial antes da gravidez e queremos continuar com a electrólise durante a gravidez, os riscos são provavelmente muito pequenos.

Por outro lado, se só começámos a ter excesso de pêlo desde o início da gravidez, recomendo paciência e apenas fazer a electrólise após o parto. Esse excesso de pêlo é causado pelos altos níveis hormonais durante a gravidez e provavelmente desaparecerão por si só depois do parto. Mas se os pêlos a incomodam assim tanto, pode sempre utilizar uma lâmina ou uma depiladora para os retirar.

Mesmo que tenhamos excesso de pêlo antes da gravidez, devemos ter cautela e evitar a electrólise na barriga, nas virilhas e no peito durante a gravidez. Se estiver a planear amamentar, não devemos fazer electrólise no peito (especialmente em redor dos mamilos) durante as últimas semanas de gravidez ou após. Os seios estão bastante sensíveis durante e após a gravidez. Além disso, o acto de sucção do bebé, em redor dos mamilos, pode ser doloroso, caso tenhamos feito electrólise recentemente no peito.

Se optarmos por remover o pêlo agora, em vez de esperar, devemos assegurar-nos que estamos perante pessoas autorizadas e com formação para fazer electrólise. Podemos também pedir a opinião ao nosso dermatologista.

Lori Wolfe - Conselheira Genética


É seguro alourar os pêlos durante a gravidez?

Desconheço estudos científicos de produtos que possam ser absorvidos pela pele. Isso implicaria medir a absorção e como não há duas pessoas iguais com as mesmas características dermatológicas, a taxa de absorção seria diferente de pessoa para pessoa. Como não há maneira de sabermos se alourar os pêlos corporais é seguro, recomendo que não se faça esse procedimento até ao parto.

Penelope Morrison Bosarge - Enfermeira

Que eu saiba, não há provas que a utilização deste tipo de produtos na pele aumente o risco de defeitos congénitos no bebé, apesar deste assunto não ter sido bem estudado. O mais provável é que uma pequena quantidade possa entrar na nossa corrente sanguínea. Se optarmos por alourar os pêlos corporais, podemos minimizar qualquer potencial risco, lavando a superfície da pele com água fria antes da aplicação do produto (para manter os poros fechados), aplicar o produto numa área bem ventilada e limitando o tempo de permanência do produto na pele.

Christina Chambers - Epidemiologista


É seguro fazer um tratamento de branqueamento dentário durante a gravidez?

Não há qualquer evidência de que os tratamentos de branqueamento dentário apresentem riscos para o bebé. Porém, não há dados suficientes que nos garantam se é seguro ou não. Por isso, os dentistas recomendam esperar até depois do parto e depois da amamentação terminar. O peróxido utilizado no branqueamento provoca um processo de oxidação que pode ser prejudicial aos tecidos e células. Não sabemos se haverá risco para o bebé.

Há outro processo de branqueamento denominado microabrasão que utiliza componentes ácidos para remover manchas, mas não há nenhuma informação disponível sobre o impacto que este processo poderá ter na gravidez. O ideal é falarmos sempre com o nosso dentista antes de utilizarmos produtos branqueadores na nossa higiene oral. Uma descoloração dentária pode ser sinal de um problema dentário grave, como cárie dentária.
Lori Wolfe - Consultor Genético

É seguro pintar o meu cabelo durante a gravidez?
As poucas evidências disponíveis sugerem que provavelmente é seguro pintar o cabelo durante a gravidez. A OTIS que fornece informação sobre riscos reprodutivos, informa que estudos em animais asseguram que pintar o cabelo não provoca nenhumas alterações em gravidezes humanas. A OTIS reafirma que muito pouco dos químicos utilizados na pintura do cabelo são absorvidos pelo nosso sistema.
No entanto, se continuarmos preocupados com este facto, podemos esperar até ao 2.º trimestre de gravidez para pintar o cabelo, quando o bebé estará menos vulnerável. Em vez de pintarmos todo o cabelo, podemos optar por madeixas, em que os produtos químicos têm pouco ou nenhum contacto com o couro cabeludo. (Todos os agentes de coloração absorvidos pelo nosso sistema, são absorvidos através da nossa pele, não através do cabelo).
Há colorações à base de produtos vegetais que são uma boa alternativa, se quisermos evitar agentes químicos sintéticos durante a gravidez. Convém verificar os ingredientes chamados "naturais" antes de comprar a tinta. Muitas vezes as substâncias ditas "naturais" que estão listadas como ingredientes da tinta, são os mesmos compostos químicos sintéticos, como aminophenol, dihidróxidobenzeno e feniladiamina, que a maioria das empresas cosméticas utiliza nas suas tintas de coloração permanentes e semi-permanentes.
A henna pura (Lawsonia inermis) - uma tinta vegetal semi-permanente que é utilizada há milhares de anos - é considerada segura. A desvantagem da sua utilização é que a aplicação é muito confusa, o tempo de aplicação é mais longo e a cor com que ficamos poderá não ser do nosso agrado. Os produtos de henna com outras cores de coloração ou que são de aplicação rápida, não são henna pura e podem conter químicos sintéticos ou compostos metálicos potencialmente perigosos.
É importante que as mulheres se sintam bem consigo próprias durante a gravidez. Se a coloração do cabelo nos fará sentir bem ou nos vai causar preocupação desnecessária durante nove meses, é melhor pensar bem antes de decidir pintar o cabelo. Se optarmos por pintar o cabelo, usar sempre luvas e fazer a aplicação num local bem ventilado para minimizar a exposição aos químicos utilizados durante o processo de coloração. Não deixe a tinta permanecer no cabelo por mais tempo do que o necessário e lave bem o couro cabeludo depois da aplicação.
Equipa Babycenter


publicado por babyblues às 00:01 | link do post | partilhar