Saúde para a fertilidade

A árvore genealógica: qual a sua importância antes de engravidar

Quando estamos grávidas tentamos sempre imaginar com quem se parecerá mais o nosso bebé: terá os nossos olhos, o cabelo do pai, a personalidade do avô... Mas esquecemo-nos que o mais importante é o que não vemos: aquilo que os nossos genes contêm. Por isso, antes de darmos este grande passo, devemos investigar minimamente o historial clínico da nossa família.

 

Está nos genes

Há milhares de doenças genéticas - doenças causadas por um gene ausente ou defeituoso - que nem sempre passam de uma geração para a outra. Muitas vezes, os defeitos dos genes ocorrem por outros motivos, por isso mesmo que encontremos algo de alarmante no historial clínico da nossa família, isso pode não querer dizer nada, porque há probabilidade de que o bebé nem tenha nenhuma doença.

Porém, com o nosso historial clínico familiar, médico pode ajudar-nos a determinar se haverá algum risco ou não.

Na primeira gravidez, mesmo sabendo que no meu historial clínico de família não havia nada de alarmante, fiz o rastreio pré-natal, que basicamente é uma picada no dedo e analisando-o, rastreiam as principais doenças, como sindrome de Down, etc. Este teste é bastante caro.

 

Toca a investigar

Se tiverem dificuldade em obter este tipo de informações da vossa família, aproveitem todas as reuniões familiares, jantares de Natal, Páscoa, casamentos, baptizados, para fazerem conversa sobre possíveis doenças familiares dos vossos antepassados. Se partilharem com a vossa família que estão a tentar engravidar e que o vosso médico vos pediu o historial clínico, talvez cooperem mais. Já sabem, comecem sempre pelos vossos pais e avós e, depois alarguem ao resto da família, tios, primos.

Façam perguntas objectivas sobre os vossos antepassados: causa da morte e com que idade, se foi diagnosticada alguma doença, etc. Não menosprezem a informação, tudo é importante: problemas cardíacos, respiratórios,...

Depois é só levar o relatório ao nosso médico e ele interpretará a informação, dizendo até que ponto nos devemos preocupar ou não.

 

Aconselhamento genético

Os avanços tecnológicos dão-nos cada vez mais opções e, consequentemente, mais decisões difíceis a tomar.

Quando engravidamos, podemos fazer o designado rastreio pré-natal, que é  um conjunto de análises e dados ecográficos que permite calcular o risco de ter um bebé com uma determinada anomalia, nomeadamente Síndrome de Down, Síndrome de Edwards ou Defeitos Abertos do Tubo Neural.

O Rastreio Pré-Natal pode ser efectuado no 1º Trimestre de gravidez (entre as 10 e 13 semanas), no 2º Trimestre (entre as 14 e 22 semanas - idealmente nas 15 semanas) ou Integrado (1º e 2º Trimestres).
Inclui as análises clínicas necessárias e, em cada trimestre, a ecografia obstétrica para confirmação do tempo de gravidez e medição da translucência da nuca.

Artigo traduzido e adaptado do original Considering your family tree when trying to conceive de Christy Rippel

 

Produtos de limpeza que podem prejudicar a fertilidade

Algo que muitas pessoas não sabem: os químicos presentes nos produtos de limpeza domésticos podem ter efeitos tóxicos na fertilidade. Só porque indicam que "são amigos do ambiente" não significa que são seguros. Todas aquelas pessoas que têm uma exposição acima da média a este tipo de produtos deverão tomar precauções.

 

Fragrâncias

As fragrâncias sintéticas presentes nos produtos de limpeza, como os detergentes para a roupa. Os fabricantes querem que sintamos o aroma quando abrimos a caixa, quando usamos o detergente e quando lavamos as roupas e os químicos que permitem que o aroma permaneça, tal como os produtos de fragrâncias para a casa, podem ser prejudiciais e devem-se evitar a todo o custo.

 

Tensioactivos aniónicos

Outro grupo de químicos, menos conhecidos, mas potencialmente prejudiciais, são os que estão presentes nos detergentes e amaciadores da roupa e não são bio-degradáveis.

 

Solventes

Os solventes encontrados na maior parte dos produtos para limpar os vidros, carpetes e fornos contêm EGBE cujos estudos indicam estar relacionados com problemas de fertilidade. O que muita gentes não sabe é que um solvente que publicita que consegue eliminar a gordura, também consegue entrar na pele e, consequentemente, no nosso corpo.

Artigo traduzido e adaptado do original Which household cleaners could hurt your fertility de Alyson McNutt English

publicado por babyblues às 00:01 | link do post | partilhar