O casal

Plano B: ser mãe solteira

Todas as mulheres fazem um plano: casar, ter filhos, uma carreira profissional bem sucedida.

Mas nem sempre o plano corre bem:

1 - Porque investimos a maior parte do tempo das nossas vidas na carreira profissional;

2- Porque não encontrámos o parceiro ideal e a idade começa a pesar.

 

Quando olhamos para a nossa vida, vemo-nos sozinhas, solteiras e sem filhos e então o plano inicial transforma-se no plano B. À primeria vista o plano B é chocante, mas quando alguém quer muito ser mãe e a idade começa a pesar, todas as soluções são viáveis.

O que é então o plano B:

1- Uma inseminação artificial de um dador anónimo. No nosso país ainda não é muito comum, mas em outros países é já considerado normal uma mulher fazer uma inseminação artificial para ser mãe.

2- Ser mãe solteira. O outro lado B, o de ser mãe solteira porque o nosso parceiro nos abandonou e a decisão de avançar ou não com a gravidez pesa-nos. É uma decisão individual que não deve ser julgada, mas ser mãe - solteira ou não - é o melhor do mundo!

Artido traduzido e adaptado do original Plan B--a single mom's decision to go it alone de Alexandra Soiseth

 

20 coisas que devemos fazer antes de engravidar

Quando o casal decide engravidar, devem esperar pelo menos 1 ou 2 meses para garantirem uma futura gravidez saudável. Há uma lista de coisas a fazer antes das tentativas para engravidar.

 

1-Ácido fólico

Mesmo que consigamos manter uma dieta equilibrada, é difícil obter todos os nutrientes necessários só através do que comemos, daí a importância da ingestão de suplementos vitamínicos 1 mês antes de engravidar. O ácido fólico pode reduzir a possibilidade do bebé vir a ter defeitos do tubo neural e espinha bífida.

Há à venda apenas ácido fólico, mas na minha primeira gravidez a minha obstetra recomendou a toma de um suplemento multi-vitamínico: o Centrum Materna.

 

2-Dizer não às festas!

 Se somos fumadores/fumadoras é o momento certo para parar, porque precisamos de libertar o nosso corpo do tabaco. Fumar pode provocar abortos, nascimentos prematuros e bebés com peso abaixo da média. Além disso, o tabaco pode afectar a nossa fertilidade (da mulher e do homem) quer como fumadores activos ou passivos.O álcool também pode afectar a nossa fertilidade.

 

3-Cafeína, para que te quero!

Pesquisas provam que o excesso de cafeína pode reduzir a nossa apacidade de absorver o ferro, que necessitamos para a gravidez. Não se esqueçam que a cafeína não está presente apenas no café, mas também em chás e bebidas como a coca-cola. Para os verdadeiros viciados, 1 café por dia não fará mal.

 

4-O peso

Se temos um peso saudável será mais fácil engravidar. Estudos indicam que as mulheres com índice de massa corporal (IMC) inferior a 20 ou superior a 30 têm mais dificuldade em engravidar.

 

5-Comida saudável

Devemos optar por alimentos mais saudáveis. Somos o que comemos e nesta fase devemos limpar o nosso corpo, ingerindo comida saudável.

 

6-Exercício físico

Iniciar e manter um plano de exercício físico será óptimo para manter o nosso corpo saudável e diminuir o stress. Um programa de exercício saudável inclui 60 minutos de actividade, como caminhar, bicicleta e musculação, na maioria dos dias da semana. Se entretanto engravidarmos, é recomendável manter o exercício, nem que seja estacionar mais longe e usar as escadas em vez do elevador.

 

7-Dentista

As alterações hormonais durante a gravidez pode tornar-nos mais susceptíveis a problemas dentários, visto que o aumento  dos níveis de progesterona e estrogénio podem sensibilizar as gengivas e torná-las mais permeáveis às bactérias. Por isso, o ideal é fazer um check up no nosso dentista.

 

8-Historial clínico familiar

Devemos sempre investigar o historial clínico das nossas famílias: pais, irmãos ou outros parentes. As questões mais importantes a colocar são se alguém na família teve síndrome de Down, anemia falciforme, fibrose cística, doença de Tay-Sachs ou qualquer outro tipo de problema genético. è também importante saber se houve/há alguém na família com atraso mental, atraso de desenvolvimento, que tenha nascido com algum defeito anatómico, cardíaco ou do tubo neural.

O nosso médico irá fazer este tipo de perguntas na nossa primeira consulta e as nossas respostas ajudarão muito a determinar que tipo de testes/exames ele deverá solicitar.

 

9-Consulta pré-concepção

Devemos marcar uma consulta pré-concepção para um checkup.

Temas abordados na consulta:

1-Historial clínico pessoal e familiar;

2-A nossa saúde actual;

3-Medicação que estamos a tomar;

4-Dieta;

5-Peso;

6-Exercício físico;

7-Vitamina pré-natal;

8-Imunizações/Vacinas

9-Exame pélvico/Papanicolau

10-Análises ao sangue/urina;

11-Testes genéticos,

 

10-Descobrir quando ovulamos

Algumas mulheres simplesmente param de usar os métodos anticoncepcionais para engravidar e deixam o destino decidir quando vão engravidar. Outras adoptam uma abordagem mais planeada, identificando o dia da ovulação, utilizando a calculadora de ovulação, para saber quais os dias em que as possibilidades de engravidar aumentam. O registo mensal do ciclo menstrual durante pelo menos 6 meses antes das tentativas de engravidar, pode ajudar a descobrir quando estamos a ovular.

Há à venda em farmácias kits que prevêem a ovulação, mas geralmente são caros (30€), considerando que só podem ser utilizados uma vez. Em média, precisamos de saber quando estamos a ovular uma vez por mês.


11-Seguro de saúde

É aconselhável fazer um seguro de saúde, porqueutilizar o serviço nacional de saúde está fora de questão. Quando procuramos um seguro de saúde temos de ter atenção não só o preço, mas também uma série de pormenores muito importantes escritos em letrinhas minúsculas. Devemos ter muita atenção quando subscrevemos um seguro de saúde relativamente a:

1-Períodos de carência: geralmente não podemos começar a utilizar o seguro imediatamente a seguir à sua subscrição e pagamento. Na Médis, por exemplo, para ir à primeira consulta médica após a subscrição tenho de esperar dois meses e para o parto, um ano.

2-Coberturas: geralmente estabelecem limites, por exemplo, o seguro paga o parto num hospital particular, mas só até um limite máximo de 3000€, ou seja, se o parto for mais caro teremos de pagar nós a diferença ao hospital.

3-Preços das consultas e exames: por exemplo, uma consulta particular anda por volta dos 50/60€, mas pelo seguro ficará por 15€, desde que o médico faça parte da lista da seguradora.


12-Estudo financeiro

É o momento certo para fazer contas à vida. Desde consultas médicas, artigos de puericultura, fraldas, infantário... Comecem a economizar!

 

13-Saúde mental

Mulheres que sofrem de depressão têm duas vezes mais probabilidade de vir a ter problemas de fertilidade. Se alguém sofre de depressão clínica, não consegue cuidar de si próprio, muito menos de um bebé e é muito mais difícil engravidar quando se está deprimido.

Se detectarmos  sinais de depressão, tais como perda de interesse e prazer nas coisas que geralmente adoramos fazer, alteração de apetite, alteração no padrão de sono, perda de energia, ou sentimentos de inutilidade, devemos perguntar ao nosso médico para que nos encaminhe para um psicólogo ou psiquiatra para uma consulta. Se for necessário tomar medicação, o psiquiatra pode indicar um antidepressivo seguro enquanto estivermos a  tentar engravidar e durante a gravidez. Podemos também utilizar outras técnicas de lidar com o stress e depressão como, yoga e meditação.

 

14-Evitar infecções

É importante evitar qualquer tipo de infecções enquanto estamos a tentar engravidar, especialmente aquelas que podem prejudicar o futuro bebé. Devemos manter-nos longe de alimentos crús ou mal passados. Devemos sempre lavar as mãos quando preparamos as refeições e depois de irmos à casa de banho.

Numa das análises que efectuamos será aquela que determina se somos imunes ou não à toxoplasmose.

 

15-Evitar problemas higiene/saúde no trabalho

Alguns postos de trabalho podem ser perigosos ao desenvolvimento da gravidez, por isso se estamos diariamente expostos a substâncias químicas ou radiações, precisamos de nos afastar desse tipo de ambiente prejudicial. Além disso, alguns produtos de limpeza, pesticidas, solventes e chumbo na água potável  (devido a canalizações antigas) podem ser perigosos para um bebé em desenvolvimento. Devemos sempre conversar com o nosso médico sobre estas questões, para se evitar ou até mesmo eliminar este tipo de riscos em casa e no trabalho.

 

16-Ponderar a decisão

Ter um filho é um compromisso para a vida. Antes de decidirem engravidar é importante o casal considerar se está preparado para assumir a paternidade/maternidade. Algumas questões-chave a considerar:

* Estão ambos empenhados em tornarem-se pais?
* Se têm diferenças religiosas, já discutiram até que ponto poderão afectar o vosso filho?
* Já pensaram em como vão lidar com as novas responsabilidades financeiras e o equilíbrio entre o trabalho e a família?
* Estarão preparados para uma criança com necessidades especiais, se vier a ser o caso?
* Estarão dispostos a deixar de dormir até tarde aos domingos? E para contratarem uma ama sempre que quiserem sair sem o bebé?

 

17-Falar com amigos

Este é um momento simultaneamente emocionante e angustiante. Será bom partilhar com os amigos este novo passo das nossas vidas. Também podem participar nos vários foruns da internet onde podem partilhar experiências, histórias e conselhos com pessoas que vivem a mesma situação.

 

18-Comprar algo sexy

Alguns especialistas dizem que quando uma mulher está altamente excitada enquanto faz amor com o seu parceiro, o esperma tem uma maior probabilidade de fertilizar os óvulos. Por isso, nada melhor que apimentar as tentativas para afastar a "sensação clínica" que muitas vezes sentimos durante as tentativas para engravidar.

 

19-Adeus à pílula

Está na hora de dizer adeus aos anticoncepcionais. No caso de anticoncepcionais não químicos - como o preservativo ou o diafragma - as tentativas podem começar quando quisermos. No caso da pílula, devemos planear com mais antecedência. Devemos sempre tomar todas as pílulas respeitantes ao mês que está a decorrer e esperar que apareça o período menstrual. Depois convém esperar 2 a 3 meses antes das tentativas, para "desintoxicar" o corpo da componente hormonal da pílula. A partir do momento em que se abandona os anticoncepcionais devemos manter um registo mensal, onde registamos a duração do período menstrual e do nosso ciclo menstrual. Assim será mais fácil calcular os dias em que estaremos a ovular.

 

20-Aproveitar a vida ao máximo antes de engravidar

A nossa oportunidade de fazermos tudo aquilo que não poderemos fazer quando engravidarmos: andar a cavalo, andar numa montanha russa, festas... É agora o momento de atirar tudo ao ar e divertirmo-nos como se não houvesse amanhã!

Artigo traduzido e adaptado do original Seventeen things you should do before you try to get pregnant da Equipa BabyCenter

publicado por babyblues às 00:01 | link do post | partilhar